A Etiqueta de Crowdfunding

A Etiqueta de Crowdfunding

Crowd o quê? – Crowdfunding.

Pra quem não está familiarizado com o nome, uma pequena busca no Google já coloca pra gente alguns conceitos. Usando a famosa Wikipedia como referência rápida, o crowdfunding nada mais é do que arrecadar dinheiro online para um projeto: uma ONG, uma empresa, um produto – geralmente para o qual você não tem dinheiro e nem investidores para fazer. Essa arrecadação conta geralmente com pessoas físicas para apoiar o projeto, e para conseguir o $$, geralmente é oferecido algum serviço ou mimo para cada faixa de valor doada.

Semana passada, fomos bombardeados na internet pelo novo projeto de financiamento coletivo: o Zebeléo, uma hamburgueria idealizada por três personalidades da internet & TV – o vencedor do Master Chef, a empreendedora mais celeb do Brasil e um blogueiro de culinária. O conceito imaginado por eles era transformar “o simples no bem feito, usando os melhores elementos e proporcionando experiências únicas, de maneira que consigam se sentir especiais”, como falado no HuffPost Brasil. Nesse post, tem até uma lista muito bem humorada de motivos para doar ou não para o projeto.

Como era de se esperar, o crowdfunding foi um fiasco, apesar de receber quase R$15 mil em 3 dias. O projeto foi tirado do ar pela péssima repercussão do público e deixou comentários ruins na rede, além da má impressão para os donos do projeto (veja aqui e aqui também). Esse post serve como um mapa de lições aprendidas e algumas dicas para saber a melhor forma de abrir um crowdfunding para impulsionar sua ideia.

1. Identifique o principal motivo para colocar sua ideia em um financiamento coletivo. Seu projeto ajuda alguma comunidade ou grupo de pessoas? É uma invenção ou inovação que poderia tornar a vida das pessoas mais fácil? O seu produto oferece qualidade ou uma experiência bacana para o cliente? Possui um background interessante?

2. Saiba vender o seu peixe. Imagine: você está pedindo doações para pessoas que não conhecem você e nem o seu projeto – alguns familiares e amigos vão sim ajudar, mas a maior parte do trabalho será feita a partir de compartilhamentos nas redes sociais. Qualquer pessoa que abrir a página do seu projeto deve ser capaz de se sentir motivado a doar.

3. Ofereça prêmios que despertem uma experiência para as pessoas de terem doado para o seu projeto, sem ter lucro em cima. Além de ter uma boa justificativa para pedir o dinheiro alheio, seu projeto precisa presentear quem doa – já que eles presentearam. Um exemplo legal é o do coador Z, um coador de café em cerâmica, feito à mão. O projeto valoriza uma comunidade local e oferece como agrado a primeira produção do produto. Esse produto ou serviço deve ser oferecido geralmente a preço de custo – afinal, a pessoa está adiantando dinheiro para você, nada mais justo do que oferecer a ela algo legal como agradecimento. Veja aqui.

4. Descreva o destino do dinheiro. Pra quem é auditor ou contador, isso é básico. Justificar os gastos com mão de obra, desenvolvimento, divulgação… É a forma mais interessante e clara de o contribuinte ver para onde vai o dinheiro que ele desembolsa no seu projeto.

Se animou com as dicas? Já pensou em abrir um fundo para impulsionar um projeto seu? Me conte aqui nos comentários. Fala pra mim também o que você achou da ideia do Zebeléo.

Beijos, C.

Tags:
Leave a Comment