Pera aí!

Pera aí!

Meu nome é Gabriel Morini Duarte, tenho 22 anos e sou formado em Publicidade e Propaganda pela Anhembi Morumbi da Vila Olimpia.
Nasci e cresci no interior de São Paulo, em Presidente Prudente. Me mudei para esta grande metrópole em 2012, no meu segundo ano da faculdade, aos 17 anos.

Aos 18, após passar por outros 3 estágios em empresas de menor porte, fui aprovado no programa de estágio da Avon. Um processo realizado pela CIA de Talentos – Recomendo você entrar no site, caso esteja buscando estágio ou trainee – foram 4 fases. Primeiro você se candidata online e faz os testes. Depois eles te chamam para uma dinâmica em grupo, ainda no escritório da CIA de Talentos, foi divertido e interessante ver o quanto há jovens despreparados ainda nesta fase. #ficaadica desde o começo saiba que você esta entrando no mundo adulto, ainda que para uma vaga de estagiário, saiba que você precisa agir como adulto.

Na terceira fase pude finalmente conhecer o escritório da AVON America Latina, super bem localizado, era um sonho de consumo poder trabalhar ali. Novamente uma dinâmica em grupo onde cada um precisava pegar um “case” real e buscar a solução. Além disso cada um tinha que preparar uma apresentação de até 5 minutos que falava sobre você. Quem você era, porque queria trabalhar ali, quais suas visões do futuro, etc. Ainda lembro da minha apresentação.

Eram 4 slides, todos em P&B. O primeiro trazia meu nome e o desenho a lapis de um globo. Meu speech era sobre como eu gostaria de conhecer o mundo, não apenas viajando, mas também trabalhando. Como eu me sentiria honrado em trabalhar em uma empresa Global como a Avon. No segundo Slide tinha penas o desenho de um olho. Neste momento eu discursava sobre minhas qualidades, aquilo que me qualificava para a vaga, começando com o adjetivo: Observador. No slide número três estava a ilustração de uma lata de Coca-Cola. Mas o que que tem haver uma Coca-cola Gabriel??? Este era meu exemplo do profissional que eu queria ser, um profissional do gabarito de uma Coca Cola. Citei essa marca como meu maior exemplo de Marketing e inspiração. E no quarto e ultimo slide novamente apenas meu nome. E finalizei dizendo: Quero ser um profissional reconhecido pelo nome, quero que as pessoas da minha área, saibam quem eu fui.

Simples, completo e eficiente. Fui para a quarta fase que era uma entrevista com os possíveis gestores. APROVADO!

Compartilhe!

Comentários

Estágio: dicas para se sair bem e ser efetivado

Estágio: dicas para se sair bem e ser efetivado

A quarta é de cinzas – o estágio, não.

Muita gente que lê o meu blog e me acompanha no Instagram (@notrabalho) está em busca de uma coisa: dicas para se vestir apropriadamente no ambiente corporativo. Mas o intuito do blog, além desse, é dar dicas úteis para quem já tem – ou está iniciando – uma carreira. Sim, estou falando do famigerado estágio!

O Nube (Núcleo Brasileiro de Estágios) divulgou uma expectativa para esse ano:  32 mil vagas de estágio devem ser abertas no país. Isso quer dizer que vai haver um aumento de 3,2% em relação ao ano passado. Porém, a taxa de candidatos também aumentou em relação a 2016: 20%, precisamente.

“OLOCO MEU! E COMO EU FAÇO PARA GARANTIR A MINHA VAGA, CARLITCHA?”

Pois é, galera, além de se vestir bem e imprimir sua própria personalidade – que eu dei as dicas nesse post aqui – é preciso saber se portar para garantir seu lugar ao sol (e quem sabe uma efetivação, né mores?). Ainda mais na crise! Pensando nisso, o empresário Marcos Scaldelai, ex-presidente da Bombril, listou algumas dicas com base em seu novo livro. Feito pra você quequer garantir uma vaga de estágio e ter mais chances de ser efetivado.

Destaque para o autor: CEO da Bombril aos 36 anos. #FocaNoFoco

Dicas para a seleção:

Impressione desde à primeira vista. Todos nós, a todo momento, estamos vendendo algo, nossa imagem é a primeira delas. Considere que essa é a grande oportunidade da sua vida e fale aquilo que te diferencia da grande maioria. Além disso, use as minhas dicas de moda pra dar aquela primeira impressão!

Nunca olhe só para o próprio umbigo. Não é porque você está conseguindo atingir os resultados esperados pela empresa que você não deve se preocupar com o desempenho dos seus colegas – ou atropelá-los na dinâmica de grupo (tem coisa pior que isso?). Ofereça ajuda sempre que for conveniente, afinal, a empresa só caminha quando todas as engrenagens estão funcionando.

Quando estiver lá dentro, o que fazer?

Evite ficar pensando que toda empresa é igual à anterior. Muita coisa que funcionava até agora não terá resultado igual, ou precisa ser executada com adaptações. Afinal, mudar tudo também tem o seu perigo. O que mais se fala hoje em dia é para voltar ao básico bem-feito. Aproveite sua pouca idade e seu gás para ser o agente de mudança!

Não crie barreiras sem necessidade. Não seja o tipo de pessoa que só enxerga barreiras – no meio corporativo, essa galera é conhecida como stakeholders. Escute, mantenha a calma e comece a levantar alternativas para mudar determinada situação.

Acredite no impossível. Sempre pense de forma positiva e desafiadora, e mentalize a frase “Sempre dá para fazer diferente”. Brilhar é superar o impossível, então acredite mais em você e na possibilidade de reverter um não de um cliente – seja ele seu chefe ou até alguem de outra área.

Como superar as expectativas?

Seja um inconformado por natureza e pense “fora da caixa”. Quem é inconformado se nega a se limitar, mesmo quando tudo está indo bem. Colocar em prática boas ideias é o segredo do sucesso! O “não” todo mundo já tem, então tem que mentalizar que tudo pode ser melhor, afinal, ninguém cresce sem sair da zona de conforto – mas sempre com planejamento. Essa atitude ajuda a conter a tentação de pegar o caminho mais fácil, e ele quase nunca é o mais seguro.

Diferencie-se pelos detalhes. Não há espaço no mercado atual para quem fizer “mais do mesmo”. A preocupação com os detalhes é o que vai fazer você se diferenciar e não ser apenas mais um, então é importante ter visão e enxergar a necessidade de diferenciação para não ficar apenas reproduzindo o que funcionou no passado nem imitando o que o outro já fez.

Sobre o livro: Vendedor Falcão. Visão, velocidade e garra para vencer. Editora Planeta.

E aí, o que acharam? Comentem aqui embaixo e compartilhem com seus amigos!

Beijos, C.

Compartilhe!

Comentários

A Entrevista de Emprego Tirou a Nossa Personalidade

A Entrevista de Emprego Tirou a Nossa Personalidade

Uma pequena reflexão sobre a famigerada entrevista de emprego.

A maioria das interações que recebo dos meus leitores pede dicas de look para uma entrevista de emprego. Já até fiz posts no instagram a respeito (confesso que tô devendo pro blog), com inspirações legais para não fazer feio na hora de falar com o RH e com seu futuro gerente. Não há nada de mal em querer estar bem apresentado num momento desses – até porque esse pode ser o emprego dos seus sonhos, certo? Por isso, procuro sempre dar dicas para acertar no visual e causar uma boa primeira impressão.

Mas vocês perceberam que, com o tempo, temos nos tornado reféns de certos padrões? Não digo só em entrevistas, mas no geral também. No caso de seleção de emprego, tem sempre aquelas famosas dicas: use cores neutras, cuidado com os acessórios, nada de estampas, batom escuro nem pensar, faça uma escova nesse cabelo, nada de gravata colorida. Não faça, não use, não seja. E assim nos tornamos clones um do outro, respondendo sempre as mesmas coisas – somos todos proativos, aprendemos rápido, temos desenvoltura para apresentações, e nosso maior defeito é sermos perfeccionistas e workaholics. Como somos profissionais perfeitos, não?

Psicólogos e profissionais de RH, me corrijam se eu estiver errada, mas a entrevista é um momento chave para conhecer o candidato e identificar suas melhores skills para determinada vaga, além de perceber certos comportamentos e alinhamento com os valores da empresa.

Como se destacar, se você é um clone dos outros?

Há quem ame um look preto e branco (eu). Mas, por que não inová-lo com uma modelagem inusitada, como uma pantacourt ou um wrap dress? Por que não usar uma gravata roxa com terno azul marinho na hora de conhecer seu gestor? E por que deixar de lado aquela sua linda blusa verde, se ela te faz sentir mais confiante?

Vou mais fundo: por que se fingir de desinibido, quando na verdade você é super tímido, mas extremamente focado? Meu melhor exemplo é uma colega de trabalho, aprovada no mesmo programa de trainees que eu entrei. Sempre a vejo gaguejar no começo de uma apresentação, mas seu domínio sobre os assuntos e sua execução perfeita no trabalho lhe garantiram uma vaga num dos programas de aceleração de carreira mais robustos que conheço. Aparentemente, ela não tinha o “perfil” que todo mundo pensa para um trainee. Mas esse foi o diferencial dela – ela não é todo mundo. Ela é ela e ela sempre foi ela, e assim ela foi escolhida. E é uma das profissionais mais competentes e sensacionais que eu tive o prazer de conhecer.

Sabe aquela campanha de independência e ser o que você quiser ser que você apoia e compartilha no Facebook? Tome um tempo de seu esforço para traduzir em seu código de comportamento e vestimenta no trabalho (e em entrevistas de emprego, principalmente). Já pensou que você pode ter perdido aquela vaga que você tanto quis, porque se vestiu e se comportou como todo mundo?

Compartilhe!

Comentários