Estágio: dicas para se sair bem e ser efetivado

Estágio: dicas para se sair bem e ser efetivado

A quarta é de cinzas – o estágio, não.

Muita gente que lê o meu blog e me acompanha no Instagram (@notrabalho) está em busca de uma coisa: dicas para se vestir apropriadamente no ambiente corporativo. Mas o intuito do blog, além desse, é dar dicas úteis para quem já tem – ou está iniciando – uma carreira. Sim, estou falando do famigerado estágio!

O Nube (Núcleo Brasileiro de Estágios) divulgou uma expectativa para esse ano:  32 mil vagas de estágio devem ser abertas no país. Isso quer dizer que vai haver um aumento de 3,2% em relação ao ano passado. Porém, a taxa de candidatos também aumentou em relação a 2016: 20%, precisamente.

“OLOCO MEU! E COMO EU FAÇO PARA GARANTIR A MINHA VAGA, CARLITCHA?”

Pois é, galera, além de se vestir bem e imprimir sua própria personalidade – que eu dei as dicas nesse post aqui – é preciso saber se portar para garantir seu lugar ao sol (e quem sabe uma efetivação, né mores?). Ainda mais na crise! Pensando nisso, o empresário Marcos Scaldelai, ex-presidente da Bombril, listou algumas dicas com base em seu novo livro. Feito pra você quequer garantir uma vaga de estágio e ter mais chances de ser efetivado.

Destaque para o autor: CEO da Bombril aos 36 anos. #FocaNoFoco

Dicas para a seleção:

Impressione desde à primeira vista. Todos nós, a todo momento, estamos vendendo algo, nossa imagem é a primeira delas. Considere que essa é a grande oportunidade da sua vida e fale aquilo que te diferencia da grande maioria. Além disso, use as minhas dicas de moda pra dar aquela primeira impressão!

Nunca olhe só para o próprio umbigo. Não é porque você está conseguindo atingir os resultados esperados pela empresa que você não deve se preocupar com o desempenho dos seus colegas – ou atropelá-los na dinâmica de grupo (tem coisa pior que isso?). Ofereça ajuda sempre que for conveniente, afinal, a empresa só caminha quando todas as engrenagens estão funcionando.

Quando estiver lá dentro, o que fazer?

Evite ficar pensando que toda empresa é igual à anterior. Muita coisa que funcionava até agora não terá resultado igual, ou precisa ser executada com adaptações. Afinal, mudar tudo também tem o seu perigo. O que mais se fala hoje em dia é para voltar ao básico bem-feito. Aproveite sua pouca idade e seu gás para ser o agente de mudança!

Não crie barreiras sem necessidade. Não seja o tipo de pessoa que só enxerga barreiras – no meio corporativo, essa galera é conhecida como stakeholders. Escute, mantenha a calma e comece a levantar alternativas para mudar determinada situação.

Acredite no impossível. Sempre pense de forma positiva e desafiadora, e mentalize a frase “Sempre dá para fazer diferente”. Brilhar é superar o impossível, então acredite mais em você e na possibilidade de reverter um não de um cliente – seja ele seu chefe ou até alguem de outra área.

Como superar as expectativas?

Seja um inconformado por natureza e pense “fora da caixa”. Quem é inconformado se nega a se limitar, mesmo quando tudo está indo bem. Colocar em prática boas ideias é o segredo do sucesso! O “não” todo mundo já tem, então tem que mentalizar que tudo pode ser melhor, afinal, ninguém cresce sem sair da zona de conforto – mas sempre com planejamento. Essa atitude ajuda a conter a tentação de pegar o caminho mais fácil, e ele quase nunca é o mais seguro.

Diferencie-se pelos detalhes. Não há espaço no mercado atual para quem fizer “mais do mesmo”. A preocupação com os detalhes é o que vai fazer você se diferenciar e não ser apenas mais um, então é importante ter visão e enxergar a necessidade de diferenciação para não ficar apenas reproduzindo o que funcionou no passado nem imitando o que o outro já fez.

Sobre o livro: Vendedor Falcão. Visão, velocidade e garra para vencer. Editora Planeta.

E aí, o que acharam? Comentem aqui embaixo e compartilhem com seus amigos!

Beijos, C.

Compartilhe!

Comentários

A Entrevista de Emprego Tirou a Nossa Personalidade

A Entrevista de Emprego Tirou a Nossa Personalidade

Uma pequena reflexão sobre a famigerada entrevista de emprego.

A maioria das interações que recebo dos meus leitores pede dicas de look para uma entrevista de emprego. Já até fiz posts no instagram a respeito (confesso que tô devendo pro blog), com inspirações legais para não fazer feio na hora de falar com o RH e com seu futuro gerente. Não há nada de mal em querer estar bem apresentado num momento desses – até porque esse pode ser o emprego dos seus sonhos, certo? Por isso, procuro sempre dar dicas para acertar no visual e causar uma boa primeira impressão.

Mas vocês perceberam que, com o tempo, temos nos tornado reféns de certos padrões? Não digo só em entrevistas, mas no geral também. No caso de seleção de emprego, tem sempre aquelas famosas dicas: use cores neutras, cuidado com os acessórios, nada de estampas, batom escuro nem pensar, faça uma escova nesse cabelo, nada de gravata colorida. Não faça, não use, não seja. E assim nos tornamos clones um do outro, respondendo sempre as mesmas coisas – somos todos proativos, aprendemos rápido, temos desenvoltura para apresentações, e nosso maior defeito é sermos perfeccionistas e workaholics. Como somos profissionais perfeitos, não?

Psicólogos e profissionais de RH, me corrijam se eu estiver errada, mas a entrevista é um momento chave para conhecer o candidato e identificar suas melhores skills para determinada vaga, além de perceber certos comportamentos e alinhamento com os valores da empresa.

Como se destacar, se você é um clone dos outros?

Há quem ame um look preto e branco (eu). Mas, por que não inová-lo com uma modelagem inusitada, como uma pantacourt ou um wrap dress? Por que não usar uma gravata roxa com terno azul marinho na hora de conhecer seu gestor? E por que deixar de lado aquela sua linda blusa verde, se ela te faz sentir mais confiante?

Vou mais fundo: por que se fingir de desinibido, quando na verdade você é super tímido, mas extremamente focado? Meu melhor exemplo é uma colega de trabalho, aprovada no mesmo programa de trainees que eu entrei. Sempre a vejo gaguejar no começo de uma apresentação, mas seu domínio sobre os assuntos e sua execução perfeita no trabalho lhe garantiram uma vaga num dos programas de aceleração de carreira mais robustos que conheço. Aparentemente, ela não tinha o “perfil” que todo mundo pensa para um trainee. Mas esse foi o diferencial dela – ela não é todo mundo. Ela é ela e ela sempre foi ela, e assim ela foi escolhida. E é uma das profissionais mais competentes e sensacionais que eu tive o prazer de conhecer.

Sabe aquela campanha de independência e ser o que você quiser ser que você apoia e compartilha no Facebook? Tome um tempo de seu esforço para traduzir em seu código de comportamento e vestimenta no trabalho (e em entrevistas de emprego, principalmente). Já pensou que você pode ter perdido aquela vaga que você tanto quis, porque se vestiu e se comportou como todo mundo?

Compartilhe!

Comentários